Reportagens Exclusivas

"Com pagamento variável recorrente, a adoção do Open Finance vai deslanchar"

Quando for possível fazer pagamento variável recorrente no Brasil, a adoção do Open Finance vai deslanchar. A opinião é de Luigi Iervolino, head de Open Finance e sócio na BIP Brasil Financial Services.

“O VRP é um grande game changer“, diz. VRP é a sigla em inglês para pagamento variável recorrente, que já existe no Reino Unido, por exemplo.

Diferentemente do PIX Automático, que deve entrar em vigor por aqui em abril, o pagamento variável recorrente só requer a definição do pagador e do recebedor – valores, prazos e frequência podem variar. “A modalidade deve acabar com o débito automático, e oferecer alternativa a quem não tem cartão de crédito”.

Nesta entrevista, o especialista traz diversos insights importantes sobre o processo de implantação do Open Finance no Brasil. Para ele, o Banco Central brasileiro foi mais longe que os seus pares em outros países, onde o foco são pagamentos – aqui, empréstimos, investimentos, seguros e câmbio estão incluídos. Iervolino considera, ainda, que o processo foi mais democrático no Brasil, dando voto igual a todos os participantes no Conselho Deliberativo – independentemente do tamanho de cada um.

A BIP dá consultoria a grupos que ocupam duas cadeiras no Conselho Deliberativo do Open Finance Brasil: a 1.2 (que representa ABBC, ABDE, Acrefi e ABBI) e a 1.3, da OCB (que representa os sistemas cooperativos). E está também em 2 dos 16 consórcios aprovados pelo BC para o piloto do Drex.

O executivo, que é italiano e casado com uma brasileira, tem duas filhas e mora no Rio, trouxe ainda diversos dados interessantes para compartilhar com a audiência. Por exemplo: dos três primeiros bancos que mais compartilham dados, dois são digitais – Nubank e Mercado Pago. E, embora a quantidade de empresas que autorizaram o compartilhamento dos seus dados seja bem menor, recentemente o ritmo vem crescendo mais do que o da adoção por parte das pessoas físicas.

“Os brasileiros não têm tanto receio de compartilhar seus dados, desde que enxerguem um benefício”, afirma.

Assista!

Leia também

Mercado Pago lança cartão de crédito Visa para PMEs, e quer ser o banco preferido delas – com a ajuda do Open Finance

Stone, Agibank e Efí se juntam ao consórcio ABBC para o Drex – grupo soma agora 13 instituições financeiras

Número de consentimentos no Open Finance dispara em 2023 – Finsiders